7 meses de Biel, introdução alimentar, BLW

Passaram os primeiros 6 meses de amamentação exclusiva de Gabriel (\o/), iniciamos a introdução alimentar. Iniciamos a introdução alimentar pelo método BLW, embora algumas vezes eu recorra à tradicional papinha…

Gabriel sentado no cadeirão comendo goiaba cortada em tiras

Gabriel sentado no cadeirão comendo goiaba cortada em tiras

Longe de mim querer ensinar o método, mas, apenas para situar quem nunca ouviu falar dele, explico. BLW, Baby-Led Weaning, significa Desmame Guiado pelo Bebê. Quem vê de fora pensa que se trata de oferecer comida aos pedaços, mas é muito mais que isso. Significa respeitar o tempo do bebê e deixar que ele próprio conduza o desmame. Sim, quando começamos a oferecer qualquer coisa que não seja leite materno, inicia-se o desmame.

Bom, para fazer a introdução alimentar pelo método BLW, o bebê deve sentar-se sem apoio. Biel começou a sentar sem apoio uns 7 dias antes de completar 6 meses, a partir daí, passou a sentar-se conosco e acompanhar nossas refeições. Aguardei completar os 6 meses antes de oferecer qualquer coisa, pois sei que este marco é bem importante para que o bebê esteja preparado para receber outros alimentos, inclusive líquidos.

Com 6 meses e 5 dias, iniciamos a introdução alimentar, com frutinhas 1 ou 2x ao dia, 3 semanas depois introduzimos o almoço, que segue basicamente o mesmo cardápio da casa, com pequenas adaptações para que consiga comer sozinho (passei a cozinhar nossa comida sem sal). As duas primeiras semanas foram bem desanimadoras… Biel até comia, mas não tinha interesse em pegar os alimentos e levar à boca. Confesso que neste período eu fugi um pouco do método. No BLW, não devemos intervir, devemos deixar o bebê criar sozinho despertar a curiosidade e experimentar quando, o quanto e o que quiser. Mas minha impaciência fez com que eu colocasse alguns pedacinhos na boca dele, pra despertar o interesse, claro que sem forçar nada. Funcionou bem, na terceira semana, Biel já começou a comer super bem!

De lá pra cá, foram muitas evoluções. Relacionando pra quem está de fora, parece quase nada, mas ver que tudo isso ele não sabia fazer e foi aprendendo com muito esforço e dedicação é lindo!

Gabriel sentado no cadeirão comendo uma rodela de banana espetada no garfo

Gabriel sentado no cadeirão comendo uma rodela de banana espetada no garfo

Hoje, aos 7 meses e 10 dias, Gabriel já domina:
  • Pegar e levar à boca os alimentos em pedaços médios (do tamanho de uma rodela de banana, aproximadamente);
  • Passar os alimentos de uma mão à outra para que fiquem em melhor posição para levar à boca;
  • Segurar e tirar pedaços de alimentos cortados em tiras ou no formato de biscoitos ou bolinhos pequenos;
  • Mastigar e engolir pedaços pequenos e moles;
  • Retornar o alimento à ponta da língua, para mastigar melhor ou colocar pra fora;
E ainda não domina, mas já tenta:
  • Levar a colher à boca e derramar a comida (dentro da boca);
  • Levar à boca pedaços espetados no garfo;
  • Segurar o copo de treinamento (de bico rígido e sem válvula) para beber água sozinho (ainda não consegue levantar o fundo do copo).
Oferecer comida aos pedaços significa lidar com MUITA bagunça, por isso nem sempre é possível e às vezes recorro a uma papinha ou uma sopinha. Mas tudo bem, tudo ao seu tempo.
Neste meio tempo, percebi que muitas outras habilidades foram desenvolvidas, Biel já engatinha, levanta-se e anda apoiado e empurrando nos móveis, desce e sobe do colchão, sobe degraus em quatro apoios (não deixei descer ainda), consegue adormecer sozinho… Eu quero crer que a autonomia que estamos proporcionando ao oferecer os alimentos desta forma tenham lhe dado confiança pra arriscar mais, mas, claro, pode ser mera coincidência.
OBS: Legendas das fotos #pracegover
mari2
Anúncios

Receita: Nhoque de batata doce

Esta receita é muito deli, mas só faço de vez em quando, porque, convenhamos, dá um pouquinho de trabalho… Mas é só um pouquinho, e vale muito a pena!

IMG_5055

INGREDIENTES:

  • 400g de batata doce assada (cerca de 2 batatas médias)
  • 30ml de água natural filtrada
  • 2 xic de farinha de trigo (já fiz com branca e com integral, as duas funcionam, hoje não tinha integral em casa)
  • 1 ovo
  • Sal a gosto

Viram? Poucos ingredientes, mas muitos truques! Pra começar, prefiro assar a batata para usar menos farinha de trigo, pois ao cozinhar ela absorve muita água. Dá pra assar de duas formas: no forno ou no microondas. Honestamente, prefiro usar o micro, só pela rapidez mesmo. Faça alguns furinhos na casca e coloque no forno ou no microondas até amolecer. No meu microondas precisei de 7 minutos, mas é bom ir parando de 2 em 2 minutos pra verificar.

IMG_5043

IMG_5044

Depois de assada, descasque (a pele sai super fácil) e amasse até virar um purê, acrescente os ovos e misture bem. Eu prefiro fazer tudo isso no processador, pra isso, coloco as batatas e os 30ml de água pra ajudar a bater bem, depois acrescento os ovos e deixo batendo até uniformizar, quando acrescento a farinha. Coloque 1 xícara de farinha e continue batendo (no processador) ou misturando (na mão), vá acrescentando mais farinha aos poucos até que a massa fique firme. No processador, deu 1 1/2 xícara no total.

IMG_5045

Enfarinhe uma superfície e coloque a massa. Não precisa, ou melhor, não pode trabalhar muito a massa pra ela não ficar “liguenta”. Vá enrolando e cortando os nhoques com uma faca. Pode fazer mais perfeitinho, em bolinhas, como quiser, mas eu prefiro que fique meio rústico. Sempre que a massa começar a grudar, jogue mais farinha na superfície. Eu costumava fazer no mármore da pia mesmo (previamente limpo e esterilizado), mas me dei conta que a sujeira que ficava depois desestimulava e hoje eu uso esta tábua de vidro da foto. Adoro.

IMG_5049

Jogue os nhoques em água fervente, quando eles começarem a subir, é só retirar com uma escumadeira.

IMG_5051

Pronto! Eu gosto de misturar ao molho e levar um pouco ao forno, mas desta vez dei uma “fritadinha” em um pouco de azeite aromatizado com alho. Servi com molho de tomate caseiro e queijo minas de búfala quebradinho por cima. Ficou mara!

TEMPO DE PREPARO: 1h

Este molho ficou super gostoso também, da próxima vez que fizer, tiro fotos e posto a receita!

Beijão…

 

mari2

Update: minha guerra com a balança!

Muito falei desde o primeiro post sobre meu emagrecimento, muito foi dito, muito foi feito. Algumas pessoas admiram e parabenizam, algumas pessoas acham meio absurdo a mudança no meu estilo de vida, fazem piada, ironia, enfim… Isto tudo é normal. Uma das coisas que aprendi neste processo é que não devemos julgar ninguém por levar o estilo de vida que levam e tento, juro, não julgar e, principalmente, não intervir… É claro que, com uma mudança que nos faz também, queremos estimular os outros a fazer o mesmo e, muitas vezes, acabamos não nos fazendo entender.

Mas, não, não estou reclamando de nada. Na verdade este é um post feliz. É um post pra atualizar meus resultados e só tem um objetivo: te fazer entender que os resultados podem até demorar, mas eles chegam. Ah, eles chegam… Continuar lendo

Para não sabotar a dieta: congelamento!

Congelamento já faz parte da minha vida desde muito antes de iniciar a minha reeducação alimentar, mas ter alimentos saudáveis congelados é uma dica ótima pra evitar a sabotagem nos dias de preguiça ou quando a despensa está veio vazia…

13_09_22_congelados_01

Aqui em casa, somos duas pessoas, ou seja, fracionar as porções foi um aprendizado longo, a base de muita comida jogada fora… O maior motivo disso era a preguiça que eu tinha de ter um trabalhão pra fazer um pingo de comida. Resultado: acabava fazendo/comprando muito e sempre sobrava… Uma das soluções que encontrei foi utilizar alimentos mais congelados e, assim, aproveitar melhor os alimentos naturais, conservando-os e facilitando o preparo. Vamos lá então aos alimentos que normalmente tenho congelados… Continuar lendo

Dica fit: mix de castanhas

Olás!!

Como vi que muita gente gostou dos últimos posts sobre a dieta e emagrecimento, vou tentar colocar dicas de vez em quando, incluindo receitas (segue no meu Instagram que de vez em quando tem alguma)! Começarei então com um de meus lanchinhos preferidos: mix de castanhas!

13_08_22_mix_castanhas_01

É mais uma dica que uma receita, porque vou variando o mix de acordo com o que eu acho no mercado ou o que tenho em casa, mas o importante é medir o que você está misturando e, no final, calcular a quantidade de calorias médias por porção! Continuar lendo