Viajando de Carro: Maceió-AL (parte 2)

Continuando o post anterior… Vamos às dicas de Maceió!

12-08-04_viajando

É muito fácil andar pela cidade se você tiver GPS. Se não tiver, complica um pouco porque muitas ruas são sentido único então uma entrada perdida pode resultar eu uma super volta! O trânsito é bem tranquilo e é tudo bem pertinho… Continuar lendo

Anúncios

Viajando de Carro: Maceió-AL (parte 1)

Olha ela aí de novo! Como eu já disse, eu AMO viajar de carro, mas nunca mais tínhamos feito isso… No último feriado, resolvemos visitar uma amiga em Maceió e que grata surpresa!

12-08-04_viajando

Saímos de Lauro de Freitas às 5:30 da manhã e pegamos a Linha Verde e entrando na SE-100 para chegar até Aracaju atravessando a Ponte Gilberto Amado. Ressalto aqui que, desde a inauguração desta ponte, tem sido muito mais rápido ir pra Aracaju por ela, embora a estrada seja um pouco sinuosa. Chegamos em Aracaju às 8:10 e partimos pra Maceió pela BR-101. Não vou saber dizer exatamente as estradas que pegamos pra Maceió, pois usamos o Waze pra achar o caminho mais rápido e deu tudo certo! Chegamos lá antes das 13:00. Continuar lendo

Viajando de Carro: Foz do Iguaçu-PR (parte 2)

Continuando com o post sobre Foz do Iguaçu, outras atrações e nossas observações:

Parque Nacional do Iguaçu – este é o parque brasileiro. É incrivelmente mais organizado e estruturado que o argentino e, embora tenha muito menos trilhas, a vista das Cataratas é absurdamente mais bonita! O transporte é feito por ônibus do próprio parque, que passam a todo momento e têm informações sobre as paradas. Vale muito, muito a pena fazer a trilha das cataratas, que nos leva bem no meio das quedas, com uma visão frontal da Garganta do Diabo, que só é possível dali (Brasil rules!)…

Pra subir, não é preciso refazer o caminho da trilha de volta, pois no final de tudo há um elevador, que nos leva ao local onde estão os restaurantes. Depois de almoçar, fomos fazer o Macuco Safari, um passeio de barco que nos leva literalmente pra debaixo das cataratas. É incrível! O passeio começa com uma trilha em que descemos de carrinho
elétrico. Num ponto da trilha, temos a opção de continuar ou fazer uma parte a pé, pela mata, que é muito linda… O barco fica entrando embaixo da queda d’água, de modo que a capinha de chuva não resolve muito… Se soubéssemos disso, teríamos ido de roupa de banho, como a família chinesa que foi com a gente… rss

Usina de Itaipu – uma obra de arte da engenharia. Uma das 10 maravilhas da engenharia do mundo moderno (eleita pela CNN). Vale a pena conhecer a magnitude da usina no passeio completo, em que a gente conhece, entre outras coisas, a sala de controle e um eixo de turbina em pleno funcionamento, sempre acompanhado por um guia que explica tudo, tim tim por tim tim. Este passeio completo precisa ser agendado, veja antes no hotel como fazer isto. É tudo muito grandioso, dá orgulho de saber que toda aquela obra é metade nossa…

Ciudad del Este – ignoramos totalmente que poderíamos ir pro Paraguai. Este foi o nosso principal desleixo nesta viagem, porque acabamos não programando o que queríamos… Prepare-se pra chegar ao paraíso! Se você estiver disposto a comprar MUITO, vá PELO MENOS dois dias, pra dar tempo de olhar tudo e achar as melhores opções. Lá tem simplesmente de tudo, de bugigangas de camelô a cosméticos, roupas, eletrônicos e muito mais, originais, vendidos nos DIVERSOS “duty free” shops espalhados pela cidade. Vá de van. O motorista da van vai orientar em relação aos melhores lugares. O nosso até tinha um esqueminha na aduana e passamos sem problema algum. A aduana pega pesado por lá, nem adianta querer passar com muita coisa. Se resolver atravessar andando a ponte, deixe seu carro em algum dos vários estacionamentos perto da fronteira, mas não aceite ajuda de ninguém pra chegar a um deles, pois eles cobram por este “serviço”… No mais, a entrada e a saída são tranquilas e dá pra fazer uma boa farra de compras com a cota de US$300,00!!

Além disso, ainda tem muita coisa pra visitar, como o Centro de Artesanatos, o Parque das Aves, o Templo Budista… Como não tínhamos tempo sobrando (até estendemos nossa viagem por lá), não deu pra conhecer tudo, mas fica pra a próxima… E então animados? Super recomendo a viagem!!

Conheça:
Parque Nacional do Iguaçu
Usina de Itaipu Binacional
Ciudad del Este

Veja mais:
Viajando de carro: como planejar?
Viajando de carro: pedágios!
Viajando de carro: Minas Gerais
Viajando de carro: Campos do Jordão-SP
Viajando de carro: Curitiba-PR
Viajando de carro: Foz do Iguaçu-PR (parte 1)

Grande beijo,

Viajando de carro: Foz do Iguaçu-PR (parte 1)

Visitar Foz do Iguaçu era inicialmente o objetivo da viagem. Isto foi decidido antes mesmo de decidirmos que a viagem seria de carro! Tinha em mente que não tem muito o que fazer em Foz, só ver as Cataratas e tal, mas me enganei completamente! A cidade em si é bem sem graça, mas tem MUITO o que fazer por lá!! O post ficou muito grande, então haverá uma segunda parte…

Ponte da Fraternidade – Fronteira Brasil-Argentina

Vamos aos lugares que visitamos:

Marco das 3 Fronteiras – merece uma visitinha rápida pra fotos… Fomos no do Brasil e no da Argentina. É o tipo de atração obrigatória, mas que não tem muita graça mesmo…

Puerto Iguazu – é a cidadezinha da fronteira. Vale a pena programar meio dia pra visitar. Comece indo ao Duty Free, o maior que já vi na vida. Tem muita coisa, então não vá com pressa. De preferência, leve pesos ou dólares, porque a cotação deles pro real não foi muito favorável… Depois, passeie pela cidade: lá nós jantamos em uma das várias casas de parrilla, onde se come uma boa carne, toma-se bons vinhos, e paga-se muito pouco! Na verdade, pagamos R$90,00 por um jantar em que 3 pessoas poderiam comer e beber muito bem! Se chegar mais cedo, passe pela feira argentina. Lá tem basicamente vinhos, queijos, azeites, alfajores e muito mais a preços baixíssimos. Se for comprar em quantidade, negocie, eles diminuem ainda mais o preço!

Parque Nacional Iguazu

Parque Nacional Iguazu – reserve PELO MENOS um dia inteiro pro parque. E chegue cedo. E use tênis. O parque das cataratas do lado argentino é enorme, tem diversas trilhas. Fizemos três trilhas: Passeio Inferior, em que vamos andando em torno das quedas, vendo tudo por baixo. Dele temos uma vista bem ampla do lado argentino das cataratas; Passeio Superior, que vai em torno das cataratas também, mas numa altura maior, então temos uma visão mais ampla das quedas e também do rio; e a Garganta do Diabo, que atravessa o rio por cima das cataratas e nos coloca quase no meio da principal queda, aquela que vemos do Brasil, e temos uma visão bem próxima da água caindo, a visão é perfeita e hipnotizante… Além disso, tem as trilhas na Ilha San Martin, que estavam fechadas quando fomos, o Trem Ecológico, que usamos pra nos locomover no parque, passeios de barco e muito mais. No mapa, eles dizem que são precisos dois dias pra fazer tudo, mas dá pra fazer muita coisa em um dia, se você não puder voltar lá…

Vem aí a segunda parte do post, aguardem cenas dos próximos capítulos… =)

Conheça:
Puerto Iguazu
Duty Free Shop
Parque Nacional Iguazu

Veja mais:
Viajando de carro: como planejar?
Viajando de carro: pedágios!
Viajando de carro: Minas Gerais
Viajando de carro: Campos do Jordão-SP
Viajando de carro: Curitiba-PR

Grande beijo,

mari

Viajando de carro: Curitiba-PR

Depois de Campos, foi a vez de chegar, finalmente à região Sul! Escolhemos Curitiba, 3 dias pra conhecer a máximo de coisas que conseguíssemos… Dos lugares por onde passamos, Curitiba é a cidade que eu moraria. Fácil! A cidade é linda, organizada, limpa, conservada, e as pessoas te tratam super bem! Tudo bem que quem mora no nordeste está mal acostumado com a péssima prestação de serviço, salvo raras exceções…

Aproveitamos as diárias de um plano de férias que minha mãe paga e ficamos num hotel conveniado, o Caravelle, que diz é 4 estrelas, mas não tem como ser verdade! Não que o hotel seja ruim, mas é bem antigo e a nossa sorte foi que não estava frio, porque o aquecedor do nosso quarto estava quebrado e não tinha mais nenhum quarto disponível… De qualquer forma, o preço da hospedagem é justo e ele está bem localizado, bem no centro.

Agora, vamos às atrações que listamos, as que aproveitamos, as que valem a pena…

Santa Felicidade – este é o bairro italiano, repleto de grandes restaurantes de massas. Jantamos lá, valeu a pena, porque a comida é simplesmente deliciosa! Dá pra passear a pé pela rua principal, pra escolher o restaurante e ver o artesanato local, que vale a pena…
Jardim Botânico – dispensa apresentações. É uma das coisas mais lindas que vi na vida. Eu já tinha ido em Curitiba quando criança, mas não lembrava v=muito bem do quanto é belo este lugar! Começando com um corredor de cerejeitas, todas floridas, em meio a um gramado maravilhoso, com a famosa estufa ao fundo… Todo o espaço do Jardim Botânico é lindo. Além da famosa estufa de 3 torres, tem uma estufa gigantesca, que estava fechada condo fomos, com muitas variedades de plantas e com uma exposição permanente de obras do escultor e ambientalista Frans Krajcberg. Lá também vale a pena passear pelo Jardim dos Sentidos, onde a gente conhece diversas variedades usando o tato, o olfato e o paladar…

Ópera de Arame – uma obra prima da engenharia. Pra quem tem meu de altura (eu!), é muito angustiante, mas é tão lindo, que vale a pena engolir o medo e conhecer tudo. A estrutura é toda vazada, mas tem alguns caminhos cobertos, pra quem tem muito medo… rsss Logo ao lado da Ópera de Arame, tem um parque (que esqueci o nome), que vale a pena dar uma olhada, mas não precisa de mais de 10 minutos, é só ir até o final, onde tem um laguinho, e voltar…

Passeio Público – na internet, vimos belíssimas imagens do Passeio Público de Curitiba, mas quando chegamos lá nos assustamos um pouco. Pra começar, fomos de tardezinha, o que não acho que foi uma boa escolha de horário, uma parte da praça estava em reforma e um dos acessos tem um péssimo aspecto, fica ao lado das residências estudantis, é uma parte mais degradada, nada bela… Quando entramos, deu uma angústia muito grande, porque tem muitos exemplares de pássaros tropicais, e o que deveria ser uma atração, não me agradou muito, porque não consigo achar bonito deixar aquelas aves tão bonitas em lugares tão pequenos. Além disso, pelo que vimos nas plaquinhas, as aves eram, em sua maioria, de habitat tropical, e estava muito frio, fiquei imaginando o sofrimento daqueles animais e fomos logo embora…

Rua 24h – vale a pena só passar, porque não passa de uma galeria com alguns bares e lojinhas. Super sem graça, é algo legal pra moradores, que têm uma opção de lazer e compras a qualquer hora do dia…

Bosque Alemão – este vale a pena passar um tempo. É muito lindo pra passear e fica numa área bem calma da cidade. Não deixe de experimentar as delícias da lanchonete que tem lá, principalmente as comidinhas típicas alemãs, como o apfelstrudel e a torta alemã.

Apfelstrudel e torta alemã.

Museu Oscar Niemeyer – reserve pelo menos meio dia pra visitar. O museu é enorme, tem muitas exposições simultâneas e muita coisa interessante pra ver. Lá dentro tem guias que explicam muita coisa sobre as obras, mas, se quiser ir sozinho também vale a pena. Quando fomos, estava tendo uma exposição das obras feitas em argamassa armada, produzida pela Fábrica de Cidades, FAEC, que foi responsável pelas obras das diversas passarelas de Salvador, além de escola, estações e pontos de ônibus etc.

Museu Ferroviário – este museu fica dentro do Shopping Estação, e, apesar de pequeno, vale muito a pena passar lá. São muitos objetos que contam a história das estradas ferroviárias do Sul. Não gasta mais do que uma hora, mas é muito legal.

Setor histórico – o setor histórico é enorme e engloba várias atrações, como a Praça Tiradentes e Praça Garibaldi. Reserve um dia pra passear pelos monumentos e almoçar nos restaurantes de rua. Não deixe de passar na lojinha de brinquedos Gepetto, que vende uma infinidade de brinquedos educativos artesanais…

Sente num restaurante de rua e tome uma cervejinha…

Parques – visite alguns parques. Há vários deles, bastante sinalizados pela cidade. São todos lindos, perfeitos pra sentar e namorar…

Mercado Municipal – vale a pena a visita. Fomos lá pra comprar erva mate pra um amigo gaúcho, mas adoramos! A diversidade de temperos e bebidas é surpreendente, além da quantidade de lojinhas de produtos orientais de fazer inveja a quem pena pra encontrar ingredientes pra fazer um sushizinho…

Além disso, tem um passeio de trem pela serra, que não fizemos porque não deu tempo. Um amigo nosso recomendou que fôssemos pra ver a vista e comer barreado, que é típico da região serrana… Ah! E não esqueça de conhecer a churrascaria Jardins Grill, que é maravilhosa e super em conta!

Vale muito a pena visitar Curitiba. Reserve mais tempo, porque tem muita coisa pra conhecer. Pecamos porque tivemos que visitar tudo na correria, mas, mesmo assim, foi excelente!!

Espero que tenham gostado das dicas!

Conheça:
Jardim Botânico
Ópera de Arame
Passeio Público
Rua 24h
Bosque Alemão
Museu Oscar Niemeyer
Museu Ferroviário
Setor Histórico
Loja Gepetto
Mercado Municipal
Jardins Grill

Veja mais:
Viajando de carro: como planejar?
Viajando de carro: pedágios!
Viajando de carro: Minas Gerais
Viajando de carro: Campos do Jordão-SP

Grande beijo,

mari