Receita: Nhoque de batata doce

Esta receita é muito deli, mas só faço de vez em quando, porque, convenhamos, dá um pouquinho de trabalho… Mas é só um pouquinho, e vale muito a pena!

IMG_5055

INGREDIENTES:

  • 400g de batata doce assada (cerca de 2 batatas médias)
  • 30ml de água natural filtrada
  • 2 xic de farinha de trigo (já fiz com branca e com integral, as duas funcionam, hoje não tinha integral em casa)
  • 1 ovo
  • Sal a gosto

Viram? Poucos ingredientes, mas muitos truques! Pra começar, prefiro assar a batata para usar menos farinha de trigo, pois ao cozinhar ela absorve muita água. Dá pra assar de duas formas: no forno ou no microondas. Honestamente, prefiro usar o micro, só pela rapidez mesmo. Faça alguns furinhos na casca e coloque no forno ou no microondas até amolecer. No meu microondas precisei de 7 minutos, mas é bom ir parando de 2 em 2 minutos pra verificar.

IMG_5043

IMG_5044

Depois de assada, descasque (a pele sai super fácil) e amasse até virar um purê, acrescente os ovos e misture bem. Eu prefiro fazer tudo isso no processador, pra isso, coloco as batatas e os 30ml de água pra ajudar a bater bem, depois acrescento os ovos e deixo batendo até uniformizar, quando acrescento a farinha. Coloque 1 xícara de farinha e continue batendo (no processador) ou misturando (na mão), vá acrescentando mais farinha aos poucos até que a massa fique firme. No processador, deu 1 1/2 xícara no total.

IMG_5045

Enfarinhe uma superfície e coloque a massa. Não precisa, ou melhor, não pode trabalhar muito a massa pra ela não ficar “liguenta”. Vá enrolando e cortando os nhoques com uma faca. Pode fazer mais perfeitinho, em bolinhas, como quiser, mas eu prefiro que fique meio rústico. Sempre que a massa começar a grudar, jogue mais farinha na superfície. Eu costumava fazer no mármore da pia mesmo (previamente limpo e esterilizado), mas me dei conta que a sujeira que ficava depois desestimulava e hoje eu uso esta tábua de vidro da foto. Adoro.

IMG_5049

Jogue os nhoques em água fervente, quando eles começarem a subir, é só retirar com uma escumadeira.

IMG_5051

Pronto! Eu gosto de misturar ao molho e levar um pouco ao forno, mas desta vez dei uma “fritadinha” em um pouco de azeite aromatizado com alho. Servi com molho de tomate caseiro e queijo minas de búfala quebradinho por cima. Ficou mara!

TEMPO DE PREPARO: 1h

Este molho ficou super gostoso também, da próxima vez que fizer, tiro fotos e posto a receita!

Beijão…

 

mari2

Anúncios

Receita Fit Gourmet: linguado en papillote

Nem acreditei na maravilha que consegui fazer totalmente improvisada e no tato…

20140531-165949-61189910.jpg

En papillote, na verdade é um modo de preparo, pelo que sei, consiste em “embrulhar” o alimento em papel alumínio ou papel manteiga, para que ele cozinhe no vapor e não perca a umidade. Vejo os chefs utilizarem esta técnica em peixes, mas acho que dá pra cozinhar frango e vegetais também… Continuar lendo

#voucasar E agora? Começando a pensar na festa…

Se a gente para pra pensar direitinho, a decisão pelo tipo de festa não é tão difícil. Quando a gente lembra das festas mais comuns no nossos círculo familiar e de amizade, percebemos que as festas são, geralmente, parecidas. Isto acontece porque o que realmente define uma festa é o estilo de vida dos noivos e dos convidados. Rá! Não esperavam por esta, né?! Sim, minha gente, os convidados têm papel decisivo na escolha do tipo e organização do casamento, afinal, a gente não faz festa só pra si. Se fosse pra ser só pra si mesmo, ficava em casa, sozinho, e pronto. O que estou querendo dizer é que, embora muita gente ache que não, a gente só faz festa porque quer convidar as pessoas, então não faz sentido nenhum fazer uma coisa que seus convidados não gostam ou não se sentiriam à vontade…

Bom, pra ver se consigo me explicar melhor, relacionei os tipos de festa mais comuns. Pra escolher um deles, você deve analisar três pontos principais: seu desejo, o estilo e quantidade de convidados e o seu orçamento…

Coquetel
Este tipo de festa geralmente possui serviço à americana, ou seja, a comida é servida em buffet e os próprios convidados se servem. Também podem ter serviço à francesa, sobretudo de canapés e mini empratados. A ideia aqui é que o serviço seja mais informal, fácil, de modo que o convidado possa aproveitar a festa, que geralmente tem um estilo mais dançante e descontraído. Pode incluir um jantar, mas normalmente somente bastante tarde, servido no buffet ou nas mesas.

Jantar
Jantar em festas de casamento são a última moda. Aqui, predomina o serviço à francesa, o que demanda uma quantidade maior de garçons (em alguns lugares, recomendam um garçom por mesa). É claro que é lindíssimo ver a mesa toda posta, sobretudo com as cores e detalhes que as mesas têm ganhado ultimamente. Este tipo de festa é mais formal e também costuma ser a opção mais cara…

Bolo com Champagne
Este tipo de festa não necessariamente serve somente bolo e champagne. Geralmente, serve alguns tipos de bebidas e canapés, doces e, claro, bolo… Este tipo de cerimônia é uma forma gentil de agradecer à presença e entreter os convidados enquanto os noivos são cumprimentados. Normalmente acontecem após cerimônias religiosas, no mesmo local, mas também podem acontecer após o casamento civil no fórum.

Brunch
O brunch é a melhor pedida para casamentos matinais. Uma mistura de café da manhã com almoço, no brunch são servidos pratos mais leves e rápidos, como frutas, queijos, canapés, petit fours, saladas e doces, acompanhados de sucos, cafés e bebidas leves. Pode ser seguido de almoço, que pode ter serviço à americana ou à francesa. Este estilo de festa costuma ser mais rápido e é muito escolhido para casamentos menores ou casamentos americanos, em que a festa se realiza numa cidade ou fazenda do interior ou mesmo na praia.

No meu casamento, escolhi fazer um coquetel seguido de pratos quentes servidos à francesa, mas em pequenas porções, como um menu degustação. A escolha se deu em função do perfil da festa: casamento à noite + família grande + estilo mais informal + festa dançante. Por isso, incentivamos os convidados a ficarem de pé e circularem pela festa, disponibilizando pufes e mesas altas e reduzindo a quantidade de lugares fixos (o que seria impossível se optasse pelo jantar à francesa).

Para a sua escolha, você tem que considerar estes aspectos, começando pela pergunta: que tipo de festa eu e meus convidados gostamos/costumamos frequentar? Acredite, esta pergunta vai te dar uma ideia bem fechada da festa ideal pra você. Daí então é adequar à quantidade de convidados e ao seu orçamento.

Bom, agora que chegamos até aqui e você decidiu que tipo de cerimônia e que tipo de festa fará, ajoelhe-se, reze e tire um final de semana de folga, porque quando começar a organizar o casamento, o bicho vai pegar!

hahahaha #brinks

Muita gente sofre na organização do casamento justamente por falta de organização… A verdade é que as pessoas normalmente entram em pânico de tanto ouvir histórias de pessoas que entraram em pânico organizando o casamentos. Sincera e honestamente, não vejo motivo ALGUM pra pânico. Organizar um casamento é o mesmo que organizar qualquer festa, com a diferença que envolve algumas coisinhas a mais…

Refazendo a frase lá de cima, agora que chegamos até aqui e você decidiu que tipo de cerimônia e que tipo de festa fará, sente e coloque tudo no papel. TUDO. Tipo assim, TUDO! Relacionar tudo o que precisa (mais uma vez: TUDO) com antecedência vai ser decisivo pra você ter uma festa tranquila e sem intercorrências.

A primeiríssima coisa a fazer é a lista dos convidados, pra ter ideia da dimensão da sua festa e precisar quanto você vai gastar com cada item, elaborando, assim, o seu orçamento. Também é importante estabelecer datas-limite para cada item da sua lista, pra que você não se perca e acabe perdendo bons fornecedores por falta de organização!

O site Casamento Click tem um sisteminha bem legal pra fazer sua lista, porque ele já te dá uma relação de coisas a fazer e prazo pra cada uma. Na minha época, o site não funcionou pra mim porque eu sou ALOKA das planilhas! Fiz uma planilha no excel (disponibilizo pra baixar aqui) relacionando TUDO:

  1. Item – setorizados, pra facilitar. Tem os itens que eu precisei, se precisar de outros, é só acrescentar;
  2. Fornecedor – nesta campo, consta tudo sobre o forncedor, como telefones e contatos, além de dados bancários, quando for o caso;
  3. Previsto – aqui eu coloquei o valor ESPERADO logo no início da organização, ou seja, quanto eu pretendia gastar com aquele item. À medida que fechava os contratos, colocava o valor REAL, já fechado;
  4. Pago – separei esta coluna porque parcelei muitas coisas, então eu colocava, mês a mês, o que já ia sendo pago, pra ter uma ideia do que faltava pagar no evento todo;
  5. Status – aqui eu ia relacionando qualquer observação ou coisas a fazer pra resolver aquele item. Quando tava tudo OK, simplesmente colocava OK;
  6. Dead-line – aqui devem constar as datas-limite de todos os itens. Quando o item já estava totalmente resolvido, simplesmente colocava OK.

Achei que minha planilha facilitou muito os processos. Abram e me digam o que acharam, nas células, há comentários explicando como preencher. Marido até colocou as células com as datas pra ficarem de cor diferente quando se aproximam, mas na minha época não tinha isso… rsssss

Qualquer dúvida, é só gritar, mas não de nervoso, viu?!

Beijão!