O poder do tempo…

Semana passada, recebi a revista “Viva Linda”, de O Boticário e, sem muita expectativa, comecei a folhear em busca de inspiração. No meio de maquiagens lindas e, claro, propagandas dos produtos da marca, encontrei um artigo da Claudia Matarazzo, chamado Supremo Luxo.

Comecei a me identificar e identificar as pessoas nas palavras de Claudia, sobretudo do que diz respeito à alarmada falta de tempo das pessoas em se observar, se cuidar, se amar… Pensei no quanto são consideradas fúteis as pessoas, principalmente as mulheres, que realmente adotam um tempo pra si, pra se conhecer, conhecer a própria pele, conhecer seu corpo, pensar sua roupa, enfim, pensar em si mesma…

No artigo, ela levanta um ponto interessante: o quanto a falta de tempo dedicado a si mesma faz com que a mulher sucumba às tendências, e, embora no artigo ela o diga focando no quesito beleza/produtos de beleza, na minha opinião, o não conversar consigo mesma por vezes submete as pessoas ao prazer efêmero da moda, as faz vítimas das tendências implantadas pela TV, pelas revistas, pelos blogs, pelas redes sociais…

Penso que a mulher que dedica algum tempo a si mesma geralmente é mais forte no resistir às tendências, porque ela se conhece e sabe o que realmente lhe agrada e lhe cai bem, independente do que está na moda. Daí eu te pergunto: quem é realmente fútil? É mesmo aquela que tira um tempo pra se conhecer ou aquela que segue a massa e acaba fazendo parte de um exército de iguais?

Este tempo que gastamos conosco é precioso, minhas caras. Ele será decisivo para aproveitarmos o que temos de melhor e cultivarmos nossa beleza de uma forma mais saudável e sustentável através do tempo, tal qual diria um velho dermatologista: “se as mulheres se cuidassem aos 25 como se cuidam aos 40, muitos procedimentos invasivos seriam evitados”. Nunca é cedo pra começar se cuidar e, ainda que sejamos rotuladas de fúteis, nunca é muito o tempo que nos dedicamos, porque amor próprio NUNCA é demais!

Pra quem se interessou, segue abaixo o artigo na íntegra:

SUPREMO LUXO
É preciso dar-se tempo – e um bom tempo, nada de migalhas, pelo menos uma hora – para um ritual de beleza diário que será só seu.
Na antiguidade, as mulheres dedicavam, praticamente um terço das horas do dia delas para a beleza: banho, cabelo, massagens, cuidados … Sem as pressões do nosso dia a dia e também sem os recursos de que dispomos hoje, ninguém achava nada de mais gastar toda a manhã – ou tarde – dedicando-se a tornar-se apresentável.
Hoje, perdemos o direito de fazer isso com calm: hórarios, filhos, mensagens eletrônicos e celulares que não se calam impedem-se de desfrutar – pra valer – desse privilégio que deveria ser rotina obrigatória para todos nós.
Na era da pressa e dos descartável, muitas mulheres preferem arriscar uma intervenção radical ou invasiva em vez de exercitar o autoconhecimento aprendendo a aceitar e cultivar cada detalhe do corpo de modo a fazer uma transformação natural e plena, de dentro para fora, infinitamente mais duradoura do que qualquer novidade trazida pela cirurgia plástica.
Para isso, porém, é preciso tempo: tempo para ficar a sós com você mesma, para experimentar novos produtos, texturas, cores, estilos e – por que não? – todas as sensações, formas e reflexos que eles podem trazer e produzir.
Mas que referência de estética devemos buscar nesse precioso intervalo de tempo? De preferência, a beleza atemporal, que  transcende e não se limita detalhes. Não se prenda a uma só tendência apenas porque é o que dizem ser bacana. Experimente a novidade, sim, mas também o que lhe agrada, o que fica bem, o que ilumina a alma, a pele e os olhos. Enfim, o que lhe dá prazer!
Para descobrir isso,  não dá pra ter pressa. Daí a importância da sua rotina intima se preservada de interrupções. Todos os dias, um carinho, um creme, um perfume de sabonete, espuma ou colônia. Todos de uma mesma linha ou a novidade do momento – não importa. O que vale é manter o espírito da descoberta, sentir-se quase uma adolescente, cobrir-se literalmente de aromas e cremes, mimos e sensações. Momentos preciosos. pequenos privilégios de tempo e de vida. que têm o poder de transformar nosso interior, alimentando a alma e embelezando o corpo, iluminando, enfim, o olhar.
Não acredite na culpa que nos ameaças cada vez que resgatamos minutos preciosos para nosso prazer e beneficio. Veja esse hábito como um investimento importante, essencial.
Com esse tempo de qualidade, virá também um controle muito maior da nossa ansiedade, o que nos tornará, de fato, senhoras de nossa própria vida e do nosso tempo. Esse ritual único, íntimo e pessoal só pode dar bons resultados do ponto de vista visual.

Apenas assim é possível compreender e utilizar toda a infinidade de maravilhosos produtos e essências que estão à nossa disposição. Cobrir a pele tonalizando ou iluminando? Marcar os lábios ou apenas insinuar?
Enfatizar os olhos ou esfumaçar o olhar? Dependerá do estado do espírito, do momento – lúdico ou solene – que se está vivendo. A escolha torna-se muita mais fácil, segura e divertida quando temos tempo, autoconhecimento, serenidade e plenitude jogando o nosso favor.
Claudia Matarazzo – é jornalista e escritora especializada em comportamento e etiqueta. É autora do livro Etiqueta sem Frescura (editora Planeta do Brasil).

Beijão!

Anúncios

Deixe sua dica ou opinião...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s