Diário de viagem: Rio de Janeiro

Bom dia, pessoal!

Quem me segue no Instagram (@marisanta, segue lá!)sabe que eu passei o último fim de semana no Rio, com o maridão! Como adoro viajar e falar de viagens, resolvi postar meus diários de viagens aqui no blog. Eu gosto de deixar registrado, pra me lembrar no futuro, assim como gosto de ver as dicas das outras pessoas, então este vai ser um espaço aberto pra você, leitor(a)! Se viajou e quer deixar suas dicas, escreve um e-mail mandando suas experiências, com fotos, informações e, principalmente, muitas dicas! Vamos lá:

Não tem como falar do Rio sem falar das praias… Esta foto acima foi tirada da Pedra do Leme e dá um ótimo panorama da Praia de Copacabana. A Praia do Leme fica lá depois do Posto 6, ainda em Copacabana, lá, como o mar é mais calmo, há muitos pescadores, sobretudo no caminho construído na Pedra do Leme, de onde tiramos essa foto. As praias no Rio, na verdade, são reentrâncias do relevo, então, pelo menos na Zona Sul, onde estive, elas são divididas por pequenas penínsulas, geralmente de pedra, que geralmente servem também de mirante.

Tire uma tarde pra curtir Copacabana. O bairro é super calmo, bem família, com muitas pessoas andando pelas calçadas e pelos calçadões… Além de ir à praia, ande para ver as esculturas gigantes de areia e não deixe de visitar Drummond e Caymmi, ambos próximos ao Posto 6. Visite, ainda, o Forte de Copacabana, pra ver a gigantesca engenharia dos canhões que defendiam a cidade. O mais legal é poder ir em cima do forte, ficar pertinho dos canos dos canhões e, claro, do mar. A visão lá de cima é linda! dá pra ver toda a Praia de Copacabana, a imagem do Gigante Adormecido, as Ilhas Cagarras e a Pedra do Arpoador!

A Praia do Arpoador fica no finalzinho da Praia de Ipanema. Assim como da Pedra do Leme vemos Copacabana, da Pedra do Arpoador vemos a Praia de Ipanema! Em Ipanema, aproveite pra conhecer os barzinhos, sobretudo o Garota de Ipanema, onde foi composta a canção que dá nome ao bar. Minha viagem foi rápida, não deu tempo de conhecer tudo, mas recomendo muito. Na outra ponta de Ipanema, está o Leblon. Aproveite e termine o dia vendo o por do Sol em algum de seus mirantes (subindo a Av. Niemeyer) e espere até escurecer totalmente: a praia fica linda iluminada. À noite, não deixe de ir no Mirante do Pasmado: a visão da cidade iluminada é maravilhosa, de lá dá pra ver a praia de Botafogo e a Marina da Glória (foto ao lado)!

Não pode deixar de dar PELO MENOS uma volta na Lagoa Rodrigo de Freitas (se puder parar em algum de seus parques, ótimo) e, se tiver tempo, visite a Barra da Tijuca, só pra ver o quão impressionantes são as construções, super imponentes (me senti nos EUA)! Passamos por lá pra conhecer, vimos a Vila Olímpica (em construção), a Vila do Pan e a Lagoa de Jacarepaguá (dá um por do Sol bonito lá também)… Também queria ver se a gente encontrava um “Marapendi Dreams” perto de lá, mas não rolou… hehehe

Estando no Rio, é claro, não pode deixar de ir visitar o Cristo! Minha sugestão é que suba de trem, de onde a paisagem é infinitamente mais bonita do que a estrada. Demora só uns 20 minutos, mas, se você for num dia de domingo (como eu), é muito provável que tenha que comprar com alguma antecedência. O passeio todo vai demorar cerca de 1h30, porque a espera do trem pra descer é um pouco longa… Ah! Se você puder escolher, não vá em um dia nublado: a melhor parte é a visão de todos os lados da cidade lá de cima, então é melhor ir num dia de céu limpo… Custa R$22,00 por pessoa pra subir de trem, mas estudante com carteirinha paga meia!

O Pão de Açúcar também é lindo demais! A subida é super rápida e, quando fomos, estavam comemorando 100 anos do teleférico, então estava tendo exposição do primeiro e do segundo bondinhos e de objetos históricos diversos, bem como de materiais com a história do bondinho… Lá em cima tem restaurantes, bancos, espreguiçadeiras… É um lugar perfeito pra relaxar, porque a paisagem é linda, o por do Sol MARAVILHOSO e a calmaria dá uma paz… Custa R$53,00 pra subir (ui!), mas vale cada centavo…

No Centro, não pode deixar de visitar a Escadaria Selarón, em Santa Teresa. O trabalho minuncioso e caprichado do chileno Jorge Selarón é simplesmente perfeito, digno de horas de contemplação: cada canto tem um detalhe, uma história diferente…

O centro da cidade é um mundo à parte: com suas construções antigas e bem conservadas, seus diversos museus e, sobretudo, o Teatro Municipal. Só não deixe pra ir dia de segunda-feira (como a Zé aqui), porque TUDO fecha dia de segunda-feira. Mas vale o passeio pelas ruas e largos…

Estando no centro, a melhor pedida pra comer é a Confeitaria Colombo. Com mais de 100 anos, conserva o charme da Belle Époque brasileira e a qualidade inquestionável. Possui um salão a la carte (com pratos individuais que servem FÁCIL duas pessoas), um salão com buffet variado e também os balcões de salgados e doces pra os apressados… Saindo de lá, fui conhecer o Saara, que é bem pertinho… O Saara é como se fosse a 25 de março do Rio, mas com muito mais ruas (não sei se é mais extenso, mas parece), onde se encontra de um tudo com preços baixíssimos: perfeito pra quem quer ir à falência… Ah! Estando no Rio, TEM que provar o biscoito Globo! Só não aposte no doce, mas o salgado é uma delícia!!

Não dá pra esquecer a Lapa, onde a noite carioca ferve, sobretudo nos dias de sexta e sábado. No Largo da Lapa (onde ficam os famosos Arcos da Lapa e a Catedral do RJ), são montadas diversas barraquinhas de comida e bebida e as pessoas se reunem por lá, antes de partirem pra um dos vários bares onde se toca de tudo: de pagode a funk, de samba a black music! Se estiver hospedado pela Lapa, vá andando, se não, melhor ir de táxi, porque estacionar é difííícil…

De modo geral, achei o Rio super tranquilo… Achei a cidade bem organizada e limpa, além de estar bem policiada, o que passa uma sensação de segurança… Me senti muito mais segura do que em Salvador. Acredito que isso tenha a ver com a chegada da Copa, das Olimpíadas, com a passagem do Pan, mas não importa, só sei que tá massa!

Uma coisa que achei legal e queria registrar é o bilhete de estacionamento (até guardei pra mostrar). Lá, nos locais onde há estacionamento rotativo, as cartelas valem o dia inteiro dentro da zona demarcada, ou seja, dá pra sair de um lugar e parar em outro dentro da mesma zona quantas vezes quiser (se achar vaga, claro)! Eu aluguei um carro lá, então nem sei falar direito sobre o transporte público, mas, para o centro, fui de ônibus e gostei muito, embora ache que essa coisa do próprio motorista cobrar a passagem deva embolar no horário de pico…

Enfim, o Rio, obviamente, continua lindo e vale muito a pena aproveitar, mas, além desses lugares que falei, ainda tem muita coisa! É uma cidade pra passar, no mínimo, uma semana, ou ir muitas vezes, como é o meu plano!

Gostaram? Corrijam-me se errei alguma coisa e deixem suas dicas também! Se quiser participar dessa seção, escreve pra mari@marisanta.com, com suas dicas de viagem e muitas fotos!

Acho que semana que vem tem novidades e uma nova colunista de viagens! Aguardem…

Beijos,

mari

Anúncios

2 comentários sobre “Diário de viagem: Rio de Janeiro

  1. Mari tem um barzinho na lapa que chama rio scenarium e tem 3 ambientes so c musica brasileira!! Vale mtoo a pena mas tem que chegar cedo pq lota! Bjos

    Responder

Deixe sua dica ou opinião...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s