Pensando sobre moda

Acompanhar a moda não é uma tarefa fácil, as mudanças são sutis e podem passar despercebidas pala maioria. Hoje, sabe-se que não é necessário combinar e sim coordenar sapatos com bolsa, tons do vestuário com maquiagem, unhas e acessórios.

Na teoria, parece democrático, no entanto, o que se vê é uma verdadeira falta de referência entre o que é “certo” ou “errado”, “bonito” ou “feio”, “elegante” ou “deselegante”.

Não sei exatamente quando isso começou, imagino que tenha sido no início dos anos de 2011 a 2012. Lembro-me que tínhamos uma referência entre o adequado e o inadequado, mas, hoje o que se ouve é “depende do estilo, se a pessoa sustenta”! Será mesmo que depende do estilo ou o problema é exatamente a da falta de (…)!

Nessa toada, todo mundo pode ser tudo e usar tudo porque depende do estilo. Se você sustenta você pode ser loira, sem se preocupar com o tom da pele, usar maquiagem pesada e unhas coloridas sem se preocupar com a idade ou ocasião, usar acessórios prata com dourado, looks vermelho com pink, mix de estampas, short com scarpin e tantas outras coisas que vemos por aí e somos condicionados a achar bonito.

Tenho pensado muito sobre essa falta de referência e voltei ao início do século XX, pois foi um período relevante para indústria têxtil e moda prêt-a-porter, o que foi criado na época serve de inspiração para todos os estilistas contemporâneos. Vou citar apenas quatro estilistas que fizeram diferença em nossas vidas, com propostas de vestuário elegante, confortável, acessível e colorido.

Se você é discreta, tem estilo clássico,  elegante, gosta roupas simples, com bom corte, caimento impecável, cores neutras, scarpin, terninho e pretinho básico, jamais esqueça este nome: GABRIELLE “COCO” CHANEL (1883-1971), pois praticamente tudo que CHANEL criou tornou-se atemporal.

Se você é dramática ou criativa, odeia a monotonia das cores neutras e está longe do pretinho básico da CHANEL, a pintora e designer SONIA DELAUNAY (1885-1979) resolveu sua vida, introduzindo cores fortes e formas geométricas aos tecidos. Pode-se dizer também que estampas são atemporais, geralmente somem no inverno e ressurgem no verão.

Agora, se você e do tipo casual, odeia salto, adora conforto e ama a moda sportswear,  dê graças aos estilistas JEAN PATOU (1880-1936), criador da saia de tênis e que popularizou o cardigan, e CLAIRE McCARDELL (1905-1958), que introduziu as sapatilhas de balé como calçado day-by-day . É por isso que hoje você usa sapatilhas, tênis e legging, roupas de malhas.

Quero deixar claro que não estou desmerecendo o trabalho de ninguém, a idéia é refletir sobre alguns pontos:

– Por que as celebridades consideradas elegantes, exemplos, Kate Middleton, Maria Fernanda Cândido, Michelle Obama, geralmente estão trajadas com roupas clássicas?

– Será mesmo necessário usar tudo que as fachionistas usam? Infelizmente, tenho que dizer: há coisas que só funcionam quando se tem menos de 30 anos.

Se você prestar a atenção às tendências, você verá que há opções para vários estilos, e isso está relacionado a idade, estilo de vida, lugar onde mora, profissão e gosto pessoal. Não é necessário usar tudo que se vê em revistas de moda ou nas novelas. Do contrário, você será mais um na multidão em busca de uma personalidade.

Desejo à todos, uma excelente semana!

Bjs.

Anúncios

5 comentários sobre “Pensando sobre moda

Deixe sua dica ou opinião...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s